Nobel da Paz, José Ramos-Horta, visitou a Lourinhã

07-06-2017
 Nobel da Paz, José Ramos-Horta, visitou a Lourinhã
José Ramos-Horta, Prémio Nobel da Paz e antigo Presidente da República Democrática de Timor-Leste, efetuou, ontem, uma visita à Lourinhã, que vai ficar na história deste território. Marcada por diversos momentos altos, a deslocação, organizada pelo Município em colaboração com o empresário Miguel Dias da Ideias Aventura, teve como objetivo homenagear esta figura determinante e incontornável da luta contra a opressão em Timor-Leste, durante a ocupação indonésia.

No Salão Nobre dos Paços do Município, a sessão de boas vindas foi aberta pelo presidente João Duarte de Carvalho que afirmou ser “uma honra e um orgulho para os lourinhanenses” receber José Ramos-Horta no nosso solo. O representante máximo do Município recordou parte do percurso ímpar deste homem e revelou que Timor Leste e Portugal, Díli e a Lourinhã, partilham o nome de uma praia a oeste. Uma Praia da Areia Branca, ex-libris dos dois municípios, e fator de atração para visitantes. “Gostaríamos muito que esta sua visita simbolize o primeiro passo de uma relação de Amizade entre os dois municípios, e que as nossas duas Praias da Areia Branca possam funcionar como embaixadoras recíprocas”, reiterou.

Também o empresário Miguel Dias evocou o percurso de José Ramos-Horta, efetuando ainda uma descrição da Lourinhã, enquanto território atrativo, com qualidade de vida, e pleno de potencial.

Já o convidado de honra agradeceu a homenagem e o convite, dando a conhecer alguns dados sobre a República Democrática de Timor-Leste, nomeadamente o crescimento verificado em 15 anos de independência, em setores como a saúde, economia, energia e educação. Salientou, de igual modo, o facto da Timor-Leste ter sido considerada como a democracia mais segura no sudeste asiático. José Ramos-Horta participou, seguidamente, em diversos momentos protocolares, tendo sido guiado pelo presidente da Câmara, numa visita às instalações do Município, na qual contactou diretamente com os funcionários

O programa da deslocação prosseguiu com uma visita à empresa Louritex, fundada em 1968, pelos sócios António Frade e António de Matos. Ramos-Horta assistiu a uma apresentação da empresa, quase a completar 50 anos,, que incluiu uma mostra dos produtos e uma explicação sobre o grupo e os mercados internacionais de exportação. Seguiu-se uma visita comentada às instalações, no âmbito da qual foram explicados diversos processos de fabrico de equipamentos metalomecânicos.

Já no período da tarde, a agenda contemplou uma sessão na Escola Secundária da Lourinhã, pautada pela presença de um elevado numero de alunos, que tiveram a oportunidade de contactar diretamente com três figuras marcantes da luta pelos direitos humanos: Rui Marques, Adelino Gomes e José Ramos-Horta. Com percursos cruzados por Timor-Leste, Rui Marques, o médico, defensor dos direitos cívicos e promotor da interculturalidade, Adelino Gomes, o histórico jornalista e figura marcante do 25 de Abril, e José Ramos-Horta, o Nobel da Paz, partilharam, com a jovem plateia, histórias de coragem, de abnegação e até de teimosia pela conquista da independência de Timor-Leste. Foi uma verdadeira aula de história sobre a luta pela independência neste território, sobre o movimento de guerrilha, sobre a persistência de um povo e sobre o importante apoio de Portugal à causa timorense. Aqui recordou-se, igualmente, a história de Ramos-Horta e da sua ação enquanto diplomata, movedor de influências e gerador de amizades e sinergias, em prol de uma solução definitiva para o seu território.

Depois deste encontro, a Praia da Areia Branca recebeu o ato simbólico de descerramento da placa da Praça José Ramos-Horta, localizada junto aos campos de ténis. Um pouco mais abaixo, numa zona ajardinada foi plantada simbolicamente uma espécie característica de Timor-Leste. Ao longo desta visita, foi ainda revelada uma pequena escultura com o formato de uma onda, evocativa da Praia da Areia Branca, ex-libris dos Municípios da Lourinhã e de Dili, e uma placa referente à visita de José Ramos-Horta.

A agenda incluiu ainda uma passagem pela Adega Cooperativa da Lourinhã (ACL), onde Ramos-Horta, guiado pelo presidente da ACL, João Catela, ficou a conhecer a história da produção da Aguardente DOC Lourinhã, dos produtos comercializados pela Adega, e as próprias instalações, nomeadamente a zona de envelhecimento. Este momento não poderia terminar sem uma prova deste produto singular, produzido na única região demarcada de aguardente do país.

A visita terminou na Biblioteca Municipal, onde foi inaugurada a exposição fotográfica de Fernanda Fonseca e Castro “Timor, os meus olhos”. Acompanhada pela dupla timorense de músicos Piki Pereira e Mintó Deus, Fernanda Fonseca, angolana, deu a conhecer o seu percurso e a sua paixão por Timor-Leste e pelo seu povo. Uma paixão, que se casou com a fotografia, resultando nesta mostra, que pode ser visitada até 13 de junho.
Este foi o culminar de um dia intenso de visita, que também vai ficar na memória de José Ramos-Horta. O homenageado revelou ter ficado impressionado com o nosso território, afirmando que pretende voltar à Lourinhã.

  •   Menu acessível
  • Promotor Oeste Portugal
  •   Oeste CIM
  • Co-financiamento Compete
  •   QREN
  •   União Europeia
Powered by Powered by U-LINK
2006 - 2017 © Câmara Municipal da Lourinhã - Todos os Direitos Reservados.