A Lourinhã na Grande Guerra - O Impacto da I Guerra Mundial na História da Lourinhã

Contribua para este projeto!


«A I Guerra Mundial representou um momento determinante, constituindo uma ruptura profunda no percurso da história contemporânea europeia e mundial, cujos efeitos fraturantes e duradouros envolveram, marcaram e determinaram muito significativamente a História de Portugal. Entre tantos outros aspectos importa recordar que entre 1914 e 1918 partiram para a Guerra mais de 100 000 soldados portugueses. Combateram em África, lutaram na Flandres. Morreram quase 8 mil homens, outros tantos ficaram feridos; 6 mil ficaram desaparecidos e mais de 7 mil foram feitos prisioneiros…»*.

Através do projeto “ A Lourinhã na Grande Guerra. O impacto da I Guerra Mundial na História da Lourinhã”, o Arquivo Municipal da Lourinhã, no âmbito das suas funções culturais e educativas, evoca a participação portuguesa, e mais concretamente a lourinhanense, neste conflito sem precedentes.

Até 2018, está prevista a publicação de documentos históricos e comunicações relacionados com o tema, resultantes de um trabalho de pesquisa em curso no Arquivo Municipal da Lourinhã, iniciado em 2014, e através da consulta e acesso a outras fontes e recursos.

A par deste trabalho informativo e de divulgação, lança-se também um desafio à comunidade, convidando os cidadãos a partilhar fotografias/imagens ou outro tipo objetos sobre a temática da I Grande Guerra, ou ainda a transmitirem histórias, passadas de geração em geração, que ainda subsistam na memória das pessoas.

Entre outras informações que podem ser partilhadas, refira-se a participação de cidadãos naturais do concelho, no referido conflito, quer na qualidade de combatentes, quer com outro tipo de papel ou intervenção social.

Todos estes elementos, objetos e informações podem ser entregues e/ou comunicados ao Arquivo Municipal da Lourinhã (tel. n.º 261 410163 | e-mail: arquivo@cm-lourinha.pt) ou ao serviço de Cultura, no edifício dos Paços do Município (cultura@cm-lourinha.pt).

Posteriormente, a informação recolhida vai ser sistematizada, trabalhada e disponibilizada ao público em formato digital, até ao final do ano de 2018.

*Fonte: Disponível em http://www.portugal1914.org/portal/pt/programa/item/6731-portugal-centenario-da-grande-guerra-1914-1918 [Consult. em janeiro de 2015].



Aqui ficam os primeiros documentos, resultantes do trabalho de pesquisa em curso no Arquivo Municipal da Lourinhã

Doc.1_1914-12-16 (clique para aceder):
Correspondência recebida da Inspeção de Infantaria da 1ª Divisão do Exército, em 1914-12-16, solicitando ao Presidente da Câmara Municipal da Lourinhã uma nota das multas cobradas pelas faltas dos mancebos à Instrução Militar Preparatória, remetida à Secretaria da Guerra, com posterior seguimento para o Ministério da Guerra por intermédio da Agência Militar.

Doc.2_1916-04-07 (clique para aceder)
Oficio circular da Câmara Municipal de Lisboa dirigida as Municípios da Nação, em 1916-04-07, acerca da declaração de guerra da Alemanha a Portugal. Contém diversos dados de contextualização histórica sobre o evento, nomeadamente no que concerne ao despoletar dos primeiros conflitos em Naulila e Cuangar, no sul de Angola.

Doc.3_1914-08-05 (clique para aceder):
Excerto da Acta da Câmara Municipal da Lourinhã, sessão ordinária de 5 de agosto de 1914 (Livro nº 13, fols. 6 – 20v). Contém propostas e deliberações da Comissão Executiva motivadas pela crise e desigualdade contributiva existente entre vendedores ambulantes e comerciantes locais, com efeitos ao nível das posturas e impostos municipais.

Doc. 4_1914-11-02 (clique para aceder):
Excerto da Acta da Câmara Municipal da Lourinhã, sessão ordinária de 2 de novembro de 1914 (Livro nº 13, fols. 21v – 24). Contém propostas e deliberações sobre diversos assuntos, destacando-se os seguintes: pedido de auxílio pecuniário da Sociedade Portuguesa da Cruz Vermelha para despesas nas operações de guerra em que as tropas Portuguesas possam entrar no estrangeiro; pedido de subsídio da Direcção da Sociedade Instrução Militar Preparatória n.º 8 para a despesa da iluminação dos cursos nocturnos para adultos do sexo masculino nas escolas oficiais do concelho da Lourinhã; funcionamento da escola do sexo masculino da Moita dos Ferreiros e conversão da mesma em escola mista; Oficio circular do Governo Civil de Lisboa, advertindo sobre as disposições do Ministério do Interior sobre salubridade publica especialmente no tocante a abastecimento d’aguas potaveis, esgotos e remoção de imundices, habitações e estabelecimentos insalubres, porque os focos colerigos que surtiram na Europa oriental ameaçam difusão epidémica.

Doc. 5_1914-11-02
(clique para aceder):

Excertos da Acta da Câmara Municipal da Lourinhã, sessão ordinária de 2 de novembro de 1914 (Livro nº 13, fols. 25v – 31). Contém Deliberações sobre diversos assuntos, destacando-se os seguintes:
• Tarifa do serviço pessoal, carros e demais transportes;
• Preços médios dos géneros;
• Concessão de diversos subsídios.

Doc. 6_1914-11-03 (clique para aceder):
Excerto da Acta da Câmara Municipal da Lourinhã, sessão ordinária de 3 de novembro de 1914 (Livro nº 13, fols. 31 – 37). Contém análise e aprovação do orçamento para o ano de 1915, e deliberações sobre diversos assuntos, destacando-se os seguintes:
• Reclamação apresentada pelo professor oficial da escola do sexo masculino da Lourinhã;
Estado de saúde do professor da escola do sexo masculino da freguesia do Reguengo Grande;
Ausência da professora da escola do sexo masculino da freguesia de Moita dos Ferreiros;
Proposta de extinção do lugar de guarda campestre;
Prestação de serviços clínicos;
Pedido de restabelecimento do caminho de ferro na linha de Leste – Lisboa à Figueira.

Doc. 7_Actas da CMLNH de 1914 (clique para aceder)
Contém as propostas e deliberações da Câmara Municipal da Lourinhã dos anos de 1914 a 1918 sobre diversos assuntos, destacando-se os seguintes:
• Concessão de subsídios;
• Escolas e professores do concelho;
• Gêneros alimentícios;
• Obras municipais;
• Posturas e impostos municipais;
• Tarifas sobre transportes


Doc. 8_Actas da CMLNH de 1914 – 1918 (clique para aceder)
Contém as propostas e deliberações da Câmara Municipal da Lourinhã dos anos de 1914 a 1918 sobre diversos assuntos, destacando-se os seguintes:
• Concessão de subsídios;
• Escolas e professores do concelho;
• Gêneros alimentícios;
• Obras municipais;
• Posturas e impostos municipais;
• Tarifas sobre transportes


Doc. 9_1916-10-05 (clique para aceder)
Ofício da Junta de Inspeção e Revisão Militar, com Edital de convocatória, de 1916-10-05. Para nova inspeção de todos os mancebos residentes no concelho da LNH, recenseados que foram isentos definitivamente, temporária e condicionalmente, e todas as praças que tiveram baixa do serviço militar por incapacidade física. Os que não comparecerem nas datas indicadas, serão considerados Aptos e Refratários; sendo julgados e condenados nos tribunais militares, com penas de 1 a 3 anos de prisão, enquanto durar o estado de guerra. Este documento reflete bem a determinação e empenho do país no processo de mobilização para a Guerra.



Doc.10_1917-06-30 (clique para aceder)
Ofício da Câmara Municipal de Alenquer, de 1917-06-30, convidando a CMLNH para se associar na sua proposta ao Governo, para se decretar que os reincidentes e vadios com mais de 3 prisões, que atualmente enchem as cadeias, sejam utilizados nos serviços arriscados do CEP, poupando os homens válidos que fazem falta ao país, designadamente nos trabalhos dos campos e industrias.



Doc.11_1917-09-11 (clique para aceder)
Circular da Sociedade Naturista Portugueza, de 1917-09-11, com uma mensagem de propaganda contra o alcoolismo e a favor da intensificação da agricultura. São feitas referências a favor do consumo da uva como alimento natural, e contra a sua excessiva utilização para a produção de vinho. E para atenuar a crise alimentar (consequência da Guerra), recomenda-se a utilização de terrenos municipais para a cultura de legumes, fruta e hortaliças (indispensáveis à alimentação do homem), no sentido de minorar a escassez de subsistências – seguindo o exemplo dos municípios de Cascais e do Porto. Os produtos desses terrenos serviriam para abastecer os asilos e outras instituições de auxílio social, que os municípios do país sustentam com acrescida dificuldade, recomendando-se, também, a suspensão transitória da cultura de plantas herbáceas que só produzam flores, privilegiando-se o cultivo de géneros alimentícios. Segundo o Dr. Samuel Maia, citado nesta Circular «a população de Lisboa é uma das que menos hortaliças consome e por isso a percentagem dos que sofrem dos intestinos é enorme e inquietadora.».


Doc.12_1918-01-09 (clique para aceder)
Oficio Circular do Governo Civil do Distrito de Lisboa, de 1918-01-09, dirigido ao Administrador do Concelho da Lourinhã, informando sobre o aumento significativo de desertores, nomeadamente de soldados do regimento de infantaria nº 2, convictos de que não serão capturados pelas autoridades administrativas locais, nem denunciados pelos seus conterrâneos; recomendando-se, portanto, que se adotem enérgicas e eficazes medidas para a captura dos desertores.


Doc.13_1918-04-27 (clique para aceder)
Ofício do Governo Civil do Distrito de Lisboa, de 1918-04-27, dirigido ao Administrador do Concelho da Lourinhã, informando sobre a fuga de dois prisioneiros alemães, que se evadiram do Depósito dos Súbditos inimigos, nas Caldas da Rainha: Karl Roger e Wilhem Wageutanecht, de 20 e 22 anos de idade, altura regular, muito loiros, e o primeiro um pouco coxo.


Doc.14_1918-10-18 (clique para aceder)
Ofício Circular do Governo Civil do Distrito de Lisboa, dirigido ao Administrador do Concelho da Lourinhã, de 1918-10-18, com instruções para a remessa de correspondência e encomendas para os soldados portugueses prisioneiros da Alemanha, para divulgação e conhecimento das famílias.


Fonte: Arquivo Municipal da Lourinhã
  •   Menu acessível
  • Promotor Oeste Portugal
  •   Oeste CIM
  • Co-financiamento Compete
  •   QREN
  •   União Europeia
Powered by Powered by U-LINK
2006 - 2018 © Câmara Municipal da Lourinhã - Todos os Direitos Reservados.